30 de abril de 2018

Por que mudar é bom?

Mudar é um verbo que exige ânimo e quebra de paradigmas. Isso porque a maioria das pessoas não aprova mudanças. Aliás, faz parte do ser humano ser resistente.
Mudar de trabalho, mudar a rotina, mudar o trajeto do dia a dia, mudar de restaurante, alterar a hora de dormir e de acordar…
Mudar exige sair da zona de conforto, do piloto automático e faz o cérebro pensar. Mudar a rotina no trabalho exige aprender e estar à disposição de novos desafios.
Quando uma rodovia está interditada há mudança para um novo caminho e a reação comum é reclamar ao invés de aproveitar o desconhecido. Por que trocar de restaurante se já há costume pelo tempero, o lugar certo para sentar, o conhecimento do cardápio diário? Por que mudar seria bom?
Tudo o que muda a rotina, exige sair zona de conforto e isso gera incômodo. Por isso, a mudança não é fácil para a grande maioria das pessoas.
Mudar, exige tempo. Por exemplo: um novo corte e cor de cabelo, o início de uma fase de vida com alimentação mais saudável, a rotina com exercícios físicos. Incorporar novos hábitos na vida individual exige tempo para maturação e aceitação da nova ideia.
Dizem que em time que está ganhando não se mexe. Eu não concordo com esta afirmação. Acredito que sempre podemos mais e melhor. Se não mexer no time este ficará acostumado e não terá o mesmo desempenho nos próximos jogos. O mesmo acontece na vida. A partir do momento que só se age no piloto automático, a acomodação já tomou conta e será difícil um desempenho maior nas tarefas realizadas diariamente.
Mudar um pouco todos os dias faz bem para o cérebro e para a alma.
Ao mudar o corpo fica mais ativo, a mente fica aberta e mais receptiva. Ao mudar há disposição para acordar mais cedo, praticar uma atividade física nova, variar o cardápio, sorrir mais, conversar com quem encontrar pelo caminho, respirar melhor, aproveitar o sol, fazer uma leitura de um novo livro, planejar o futuro, aguçar a mente para novas ideias, viver melhor. Mudar é o caminho para a descoberta de que o que importa não é o tempo em que as coisas são feitas, mas COMO são feitas.
Você é responsável pelo seu tempo. Pouco importa se você foi dormir tarde e acordou muito cedo, pois se estiver disposto a mudar e estiver com a alma livre e aberta, o sono vai embora e o que fica é a vontade de fazer mais e melhor.
Quando você se permitir mudar, verá que tudo à sua volta muda também. Eu me refiro a tudo mesmo, incluindo as amizades.
É possível que amizades antigas vão embora para abrir espaço às novas. Isso porque você mudou e quem não se adequar ao seu novo eu, ao seu eu melhorado, não encontrará espaço para ficar perto de você.
Quero lhe convidar a fazer da sua vida uma mudança. Coisas novas acontecerão, novas pessoas entrarão para o seu convívio, você crescerá muito interiormente, sentirá mais realização, mais felicidade, mais amor e carinho pelo próximo. Terá tempo para tudo. Sim, porque quando nos permitimos tempo não é problema.

Comece a mudança em você e seja muito feliz!

Fonte: https://osegredo.com.br/por-que-mudar-e-bom/

29 de abril de 2018

Por que o autoconhecimento é tão importante?

Olá! Diário...

Tendo em vista que começou 2018 a alguns meses... hehehe...
E a Luzia só aparece aqui quando acha um tempo para ler e buscar inspirações para postar aqui.. porque sim, eu não uso esse diário para relatar coisas da minha vida pessoal, eu me reservo o direito de guardar o que vivo no dia a dia para mim...
E este espaço aqui como blog fica para momentos e inspirações que me marcaram e que um dia... lá no futuro... eu gostaria de reler e poder ver minha evolução de pensamentos e amadurecimento.
Sendo assim, hoje ao entrar em um site que adoro ler artigos, osegredo.com.br eu achei esse texto (logo abaixo) que me fez refletir sobre meus últimos anos...
Sabe quando você resolve mudar radicalmente uma decisão, ou fazer uma escolha que pode e vai mudar toda a sua vida?! Pois é... eu já fiz isso... mais de uma vez... e a pior coisa que tem ao meu ver... é você olhar para trás e se arrepender das decisões que fez e das escolhas que teve...
Eu particularmente NÃO ME ARREPENDO de nenhuma escolha que fiz... mesmo aquelas que me fizeram sofrer... mesmo aquelas que por um tempo curto me fizeram pensar: " E se eu tivesse tentado mais... e se o sentimento muda-se... e se eu não tivesse desistido... e se eu não tivesse dito aquilo...", mas no mesmo momento que esses pensamentos vinham, eu pensava também: " Ok... foi melhor assim, agora tudo está as claras, e eu fui verdadeira sobre como me sentia..." 
Então ao final dessa reflexão, eu penso que olhar para frente é melhor que olhar para trás... mas é muito importante que tudo que você deixo para trás tenha seu valor e não seja esquecido... e que você não tenha vergonha das decisões que tomou ou arrependimentos, nem tudo que passa por nossa vida foi feito para ficar para sempre, cada um de nós tem uma missão nesse mundo e um tempo também.
Minha busca por autoconhecimento nesses últimos anos me fez ver que o mais importante para uma vida equilibrada é eu cuidar sempre de mim e me responsabilizar pelas escolhas que faço...
Não esperar que esse cuidado venho de fora... de outras pessoas... de coisas materiais... e me perdoar... porque eu sou passível de falhas e erros... e não sou uma pessoa ruim... eu não desejo o mal ou quero magoar de propósito.

Meu lema de vida é:


Eu sou apaixonada pela palavra autoconhecimento e tudo o que ela traz de importante para a minha vida.

Considero incrivelmente prazeroso dispor de momentos para praticar a arte de me conhecer melhor. Comecei este processo há muitos anos. Primeiro, com livros de autoajuda. Porém, chegou um momento em que estes livros não foram suficientes, pois eu estava numa fase de conflito comigo mesma, irritada, desgostosa, depressiva, muito insatisfeita mesmo.
Quando não se está de bem consigo mesmo, quando não se tem aquela sensação de paz interior, torna-se muito fácil encontrar defeitos em si e nos outros e criticar a si e aos outros, mesmo que intimamente. E, mesmo no íntimo, acaba-se por exteriorizar esses sentimentos de alguma maneira, pois somos seres de energia.
Essa situação não é saudável. Viemos para este mundo para viver bem. Viver bem não significa ter dinheiro e usufrui-lo indiscriminadamente. Viver bem é estar em harmonia consigo e com os demais. É como imaginar uma música suave sendo tocada e levar sua vida dessa maneira, em harmonia.
Quando percebi que nem eu mesma estava me suportando mais e tudo a minha volta me incomodava procurei ajuda e foi a melhor coisa que fiz. Mesmo assim, ouvir verdades não é fácil e, muitas vezes, eu me senti tentada a desistir. Mas, a força de vontade que eu tinha de mudar era maior, então, deixei-me envolver pelas palavras daqueles que sabiam muito mais que eu e que considero meus mentores.

Mas, olhando para trás, eu sei que deixei uma pessoa e hoje sou outra bem diferente. E isso é o que é mais gratificante. Eu sempre tive vontade de ser uma pessoa melhor em vários aspectos, mas não sabia como. Como a minha vontade de mudar e fazer diferente era muito grande, Deus e o Universo colocaram as pessoas certas na hora certa em todos os momentos da minha vida.
“A mente que se abre a uma ideia jamais volta ao seu tamanho original.” (Albert Stein). 

E, é isso mesmo o que acontece. Existem e sempre existirão momentos de tropeços, em que se sai da órbita, mas com o autoconhecimento você tem à sua disposição inúmeras ferramentas para se “autoconsertar” rapidamente, entrar no eixo do equilíbrio novamente e seguir em frente. Coisas que me deixavam mal durante dias, hoje me deixam mal algumas horas. E isso é o que é extraordinário! A capacidade de resolver pequenas ou grandes questões, sem precisar se desgastar, porque o desgaste emocional consome uma energia imensa.
Somos energia pura. E, o que emanamos com ela receberemos de volta. Então, porque não permitir se conhecer melhor para saber o que agrada, o que desgasta, o que alegra, o que traz paz?

Com as ferramentas do autoconhecimento em mãos, fica muito mais fácil amar-se mais.

Porque em qualquer momento que for necessário lançar mão das ferramentas para se autoconsertar, fica evidente que não haverá mais crítica interior, mas sim, a capacidade de fazer algo para ser feliz.

Fonte: https://osegredo.com.br/por-que-o-autoconhecimento-e-tao-importante/

1 de janeiro de 2018

Feliz Ano Novo!

Este ano, quero aprender algo mais, algo que ainda nem sei o que é.
Quero, em comparação com os anos anteriores, amar e me dedicar mais ao outro.
Quero ser mais, ouvir mais, saber mais, dizer mais vezes a palavra não e pensar mais vezes ao dizer a palavra sim, e vice-versa.
Quero prestar mais a atenção ao cheiro das coisas.
Este ano, quero estipular mais limites aos meus limites.
Quero me conhecer mais, olhar para o íntimo e ver como realmente sou.
Quero tirar as máscaras que ainda restam e sem que as pessoas percebam, o meu eu vá aparecendo e conquistando, agradando, causando sutis escândalos.
Quero continuar prestando a atenção às cores dos relacionamentos que surgem e desaparecem.
Este ano, sei que será diferente dos demais, alguns já não estão mais tão perto e outros estão apenas pensando em se aconchegar.
Quero saber diferenciar este ano o pouco, do suficiênte.
Quero além de sentir o cheiro das coisas, saber lidar com eles.
A tendência da paixão é certa e a decepção pode ser perigosa e triste.
Este ano tá com cara de bossa-nova.
Sinto o cheiro da melodia no ar.
Suave e harmonioso.
Estou começando a compôr.
Este ano será o melhor de nossas vidas.
Será um ano de tentativas.
Quero sugar o mel das pessoas distraídas ou diariamente convertidas.
E com ele me deliciar e deliciar os meus.
Nada de sombra e luzes artificiais.
Somente luz natural.
O que eu realmente quero para este ano, é morrer de amor!
Simplismente morrer de amor.
Cláudia Kuhn da LuzEu quero tudo isso, conforme descrito no texto acima e ainda mais...por otimismo, pela felicidade e amor, por merecimento e por gratidão! E QUERO VIVER DE AMOR...SIMPLESMENTE VIVER DE AMOR!!!Boa sorte para todos nós!

BOA SORTE EM 2018!

Feliz 2018! Não precisamos esperar que as mudanças aconteçam fora de nós porque quando nós mudamos o mundo muda com a gente e o Ano Novo pode ser vivido todos os dias! Que façamos de nós mesmos o diferencial da nova fase que se inicia. Que haja mais amor, que a esperança se renove e que a paz seja cultivada dentro de cada um.
Eu desejo que em 2018 nós possamos dormir e acordar todos os dias um pouquinho melhores. Que as tantas voltas que o mundo já deu e as lições que já aprendemos com as nossas experiências nos deem a certeza de que a vida se ajusta sempre!
Que em 2018 a gente olhe para trás orgulhosos da própria história, que a gente renove os nossos objetivos e lute pelos sonhos que deixamos ficar adormecidos, mas que acima de tudo nós ampliemos a visão para enxergar sempre mais longe cientes de que podemos sempre mais do que podemos imaginar!
Quem faz o ano ser novo é cada um de nós!
BOA SORTE EM 2018!

13 de dezembro de 2017

Pra pensar e realizar!


Não sou uma metade da laranja...sou a laranja inteira!

Fizeram a gente acreditar que amor mesmo,
amor pra valer, só acontece uma vez 
acionado, nem chega com hora marcada.
Fizeram a gente acreditar que cada um de
nós é a metade de uma laranja, e que a vida
só ganha sentido quando encontramos a
outra metade.

Não contaram que já nascemos inteiros,
que ninguém em nossa vida merece carregar 
nas costas a responsabilidade de completar
o que nos falta: a gente cresce através da
gente mesmo. Se estivermos em boa companhia
é só mais agradável. 

Fizeram a gente acreditar que só há uma
fórmula de ser feliz, a mesma para todos, 
e os que escapam dela estão condenados
à marginalidade. Não contaram que estas
fórmulas dão errado, frustram as pessoas, 
são alienantes, e que podemos tentar outras 
alternativas. 

Cada um vai ter que descobrir sozinho.
E aí, quando você estiver muito apaixonado
por você mesmo, vai poder ser muito feliz 
e se apaixonar por alguém.
Martha Medeiros

6 de agosto de 2017

5 coisas que mudei quando comecei a cuidar de mim...

O caminho para a realização pessoal e a calma espiritual é árduo e, às vezes, extremamente angustiante. É tanta coisa que vivemos e que processamos que às vezes, estar em paz com nós mesmos e com os que nos rodeia parece quase uma missão impossível.
Quem já teve que enfrentar situações dolorosas, na maioria das vezes, arriscou o seu conforto e apostou na superação em detrimento da estagnação pessoal e emocional, podendo vir a encontrar essa calma no momento e nas circunstâncias mais inesperadas.
Pode ser que, de forma inconsciente, a nossa luta interior tenha se cristalizado em conquistas imperceptíveis para nós, mas ao se acumularem uma atrás da outra, deram frutos maravilhosos. De repente você não precisa que tudo seja ideal e esteja controlado, você simplesmente aproveita o que tem e ignora o que faz mal.
Quem tem lutado para melhorar se dá conta de que uma das melhores formas de alcançar o bem-estar é, simplesmente, saber cuidar de si mesmo. E isso requer uma série de decisões sábias, que equilibram o que queremos e o que não queremos na nossa vida.

Saber me ouvir, em vez de ouvir apenas o que os outros dizem de mim

Não há nada pior do que subordinar a sua vida e a sua personalidade à aprovação constante dos outros. É muito fácil se tornar uma boneca quebrada se você adere a tudo que a sociedade supõe que é melhor para você.
A sua personalidade nunca estará integrada em um todo, mas será uma construção de sobras e ideias velhas impostas a você, mesmo sem você ter questionado o verdadeiro significado que elas tenham para a sua alma.
Saber ouvir a si mesmo, prestar atenção na sua intuição, perder-se por onde os outros dizem que não vale a pena ir e se encontrar no final do caminho com a parte mais autêntica de si, para guardá-la e decidir levá-la sempre com você. Isso é uma vitória.

Afastar-me de tudo aquilo que não é belo, útil e divertido

Sim, escolhi ser um pouco hedonista e o resultado foi melhor do que eu esperava. Seguir esta premissa me trouxe apenas bons sentimentos e evitou a maior parte das más vibrações que giram em torno de mim.
Se alguém não é capaz de se entregar aos prazeres da vida, deveria se questionar profundamente a respeito do que é a vida para ele, e quem o fez acreditar no que estava certo ou errado.
Desfrutar é um verbo com uma conjugação positiva no singular e no plural: eu desfruto, tu desfrutas e nós desfrutamos. Coincidentemente, se eu sou a primeira pessoa a praticá-lo, vou contribuir para que essa conjugação se estenda aos que estão ao meu redor.

Não tenho que me sacrificar por nada nem por ninguém

Lutar pelo que eu quero e por quem eu quero é um prazer e um privilégio.
A nossa sociedade nos impôs a ideia de que tudo que vale a pena implica sacrifício, mas para mim essa palavra transmite angústia. Prefiro substituí-la por paixão, perseverança ou tenacidade. As coisas que melhor aprendi na minha vida foram ensinadas em um ambiente relaxado, de uma concentração agradável na qual eu fazia aquilo porque estava sendo interessante. Trabalhar por algo que não gostamos se chama estresse. Trabalhar por algo que gostamos se chama paixão.
Os conceitos mais difíceis da vida acadêmica e da minha vida pessoal só entraram na minha mente e no meu espírito quando eram acompanhadas de uma explicação doce e uma atitude empática.
Na verdade, eu observei que as pessoas que optaram pelo sacrifício diário, pelos dogmas sociais, por afastar todo o desconhecido por poder ser perigoso, são pessoas com uma aura cinzenta, sem brilho, com uma cara fechada e língua viperina. Comecei a entender que a minha loucura era mais saudável do que a sanidade rígida dos outros.

No amor às vezes é preciso perder o orgulho, mas nunca a dignidade

Quando eu me regia por regras e não por sentimentos, meu coração e minha mente estavam feridos, e a minha alma estava encarcerada. Comecei a me cansar dessa forma tão medíocre de amar e sentir e decidi me jogar na piscina, mesmo se estivesse vazia. Às vezes isso resultou em pancadas tremendas, em outras vezes acabei navegando.
Não há nada pior na vida do que sentir medo de experimentar um sentimento tão emocionante quanto o amor. Graças a essas pancadas, eu continuo me atirando em piscinas vazias, mas com uma técnica que me impede de sofrer contusões e lesões graves, embora eu ainda perdoe uma ou outra contusão, porque não há ferida pior que nos faça sentir o vazio do que a de não se atrever a nada.

Tenho que cuidar das pessoas que amo e que me amam, e eliminar da minha vida todas aquelas que me fizeram mal intencionalmente

A vida nos dá um tempo limitado para que a desfrutemos, por isso não vou perder mais nenhum segundo dos meus pensamentos e do meu tempo para tentar entender porque algumas pessoas me machucaram com sua indiferença, trataram de me humilhar, me traíram ou me julgaram.

“A honestidade é um presente muito caro, não a espere de pessoas baratas.”
-Warren Buffet-

 Desde que tomei essa decisão, essa parte destinada a essas tarefas absurdas e inúteis ficou vazia de ressentimento e aberta e pronta para ser preenchida com tudo aquilo que me faz feliz. Nenhuma daquelas pessoas que criavam dificuldades no meu caminho vai voltar a empregar a maldade sobre a minha vida.
Tudo o que sei agora é um privilégio que não comprei com dinheiro. Simplesmente veio até mim quando comecei a cuidar de mim, e isso é verdadeiramente um presente.
Fonte:https://amenteemaravilhosa.com.br/5-coisas-mudei-comecei-cuidar-mim/

Li esse texto a alguns meses, e venho praticando...resolvi postar aqui e agora essa experiência aqui para registro e futuras avaliações de conhecimento.

Boa sorte Luzia! =D