29 de maio de 2018

Não se culpe!

A vida precisa de faxina. De reciclagem. De ressignificação.
De tempos em tempos, precisa que a gente mude os móveis de lugar, troque o tapete, pinte a parede de uma cor diferente. Depois de algum tempo, precisa que a gente rasgue alguns papéis, libere espaço nas gavetas, ventile o ambiente, se desapegue daquilo que deixou de ter significado.
Eu costumava me sentir culpada de jogar a maioria dos cadernos antigos do meu filho fora. Porém, no ano seguinte, outra pilha de cadernos se somava à anterior, e eu acabava descartando aqueles que havia guardado. Hoje, conservo apenas um de cada ano, e pode ser que lá na frente eu descubra que não faz mais sentido guarda-los também. Porém, no momento ainda é importante para mim. No momento ainda faz sentido manter aqueles cadernos encapados com adesivos do Minecraft que mostram a evolução da letrinha cursiva e me lembram a fugacidade da infância.
Leva tempo até que a gente se sinta pronto para se desapegar de histórias, objetos, hábitos e pessoas que se quebraram. Como um vaso quebrado, insistimos em colar os cacos, imaginando que podemos manter a peça intacta, como era anteriormente. Nos apegamos aos fragmentos e esquecemos que coisas boas acontecem para quem libera espaços, para quem redimensiona o passado e dá uma chance ao futuro.
Não se trata de vingança. Mas às vezes você tem que parar de direcionar o seu afeto e a sua atenção para quem não é recíproco com você. Deixar de mandar mensagens para quem só aparece quando tem interesse, parar de insistir num encontro para um café com quem sempre arruma uma desculpa, manter distância de quem tenta te diminuir, deixar de ter expectativas após longos silêncios e prolongadas ausências, aprender a se proteger e se valorizar, entendendo que nem sempre gostar muito de alguém é pré-requisito para essa pessoa também gostar muito de você.
Nem sempre ter afeição por alguém é o suficiente para essa relação funcionar. De vez em quando você tem que ter feeling, sensibilidade e diplomacia para se resguardar e se afastar. Fomos educados a agir com tolerância e perdão, mas isso não significa autorizar que algumas pessoas nos subtraiam, ou que nossas vidas fiquem suspensas à espera de um gesto de reciprocidade que nunca ocorrerá. De vez em quando você tem que acordar e perceber que esteve remando o barco sozinho, e que já é hora de parar.
A vida precisa de faxina. E isso inclui fechar algumas portas e dar fim a algumas histórias. Nem tudo cabe em nossa nova etapa de vida, e temos que ser corajosos para abrir mão daquilo que um dia teve significado e hoje não tem mais. Nem sempre é fácil encerrar um capítulo. Porém, às vezes o capítulo já se encerrou faz tempo, só a gente não percebeu.
Por fim, não se esqueça do ditado que diz: “Não guarde lugar para quem não tem intenção de sentar ao seu lado”. Algumas pessoas não valem nosso esforço. Não valem nosso empenho nem intenção de proximidade. Elas simplesmente não fazem questão. E insistir em manter um laço sem reciprocidade só irá nos desgastar, cansar, decepcionar. Quanto antes você entender isso, mais cedo aprenderá a valorizar quem está ao seu lado, seus afetos verdadeiros, sua história bem contada. E enfim adquirirá uma espécie de amor próprio que não lhe permitirá mais remendar porcelanas quebradas. Entenderá de finais e recomeços, e aprenderá a não sentir um pingo de culpa por se amar em primeiro lugar.
Por

30 de abril de 2018

Por que mudar é bom?

Mudar é um verbo que exige ânimo e quebra de paradigmas. Isso porque a maioria das pessoas não aprova mudanças. Aliás, faz parte do ser humano ser resistente.
Mudar de trabalho, mudar a rotina, mudar o trajeto do dia a dia, mudar de restaurante, alterar a hora de dormir e de acordar…
Mudar exige sair da zona de conforto, do piloto automático e faz o cérebro pensar. Mudar a rotina no trabalho exige aprender e estar à disposição de novos desafios.
Quando uma rodovia está interditada há mudança para um novo caminho e a reação comum é reclamar ao invés de aproveitar o desconhecido. Por que trocar de restaurante se já há costume pelo tempero, o lugar certo para sentar, o conhecimento do cardápio diário? Por que mudar seria bom?
Tudo o que muda a rotina, exige sair zona de conforto e isso gera incômodo. Por isso, a mudança não é fácil para a grande maioria das pessoas.
Mudar, exige tempo. Por exemplo: um novo corte e cor de cabelo, o início de uma fase de vida com alimentação mais saudável, a rotina com exercícios físicos. Incorporar novos hábitos na vida individual exige tempo para maturação e aceitação da nova ideia.
Dizem que em time que está ganhando não se mexe. Eu não concordo com esta afirmação. Acredito que sempre podemos mais e melhor. Se não mexer no time este ficará acostumado e não terá o mesmo desempenho nos próximos jogos. O mesmo acontece na vida. A partir do momento que só se age no piloto automático, a acomodação já tomou conta e será difícil um desempenho maior nas tarefas realizadas diariamente.
Mudar um pouco todos os dias faz bem para o cérebro e para a alma.
Ao mudar o corpo fica mais ativo, a mente fica aberta e mais receptiva. Ao mudar há disposição para acordar mais cedo, praticar uma atividade física nova, variar o cardápio, sorrir mais, conversar com quem encontrar pelo caminho, respirar melhor, aproveitar o sol, fazer uma leitura de um novo livro, planejar o futuro, aguçar a mente para novas ideias, viver melhor. Mudar é o caminho para a descoberta de que o que importa não é o tempo em que as coisas são feitas, mas COMO são feitas.
Você é responsável pelo seu tempo. Pouco importa se você foi dormir tarde e acordou muito cedo, pois se estiver disposto a mudar e estiver com a alma livre e aberta, o sono vai embora e o que fica é a vontade de fazer mais e melhor.
Quando você se permitir mudar, verá que tudo à sua volta muda também. Eu me refiro a tudo mesmo, incluindo as amizades.
É possível que amizades antigas vão embora para abrir espaço às novas. Isso porque você mudou e quem não se adequar ao seu novo eu, ao seu eu melhorado, não encontrará espaço para ficar perto de você.
Quero lhe convidar a fazer da sua vida uma mudança. Coisas novas acontecerão, novas pessoas entrarão para o seu convívio, você crescerá muito interiormente, sentirá mais realização, mais felicidade, mais amor e carinho pelo próximo. Terá tempo para tudo. Sim, porque quando nos permitimos tempo não é problema.

Comece a mudança em você e seja muito feliz!

Fonte: https://osegredo.com.br/por-que-mudar-e-bom/

29 de abril de 2018

Por que o autoconhecimento é tão importante?

Olá! Diário...

Tendo em vista que começou 2018 a alguns meses... hehehe...
E a Luzia só aparece aqui quando acha um tempo para ler e buscar inspirações para postar aqui.. porque sim, eu não uso esse diário para relatar coisas da minha vida pessoal, eu me reservo o direito de guardar o que vivo no dia a dia para mim...
E este espaço aqui como blog fica para momentos e inspirações que me marcaram e que um dia... lá no futuro... eu gostaria de reler e poder ver minha evolução de pensamentos e amadurecimento.
Sendo assim, hoje ao entrar em um site que adoro ler artigos, osegredo.com.br eu achei esse texto (logo abaixo) que me fez refletir sobre meus últimos anos...
Sabe quando você resolve mudar radicalmente uma decisão, ou fazer uma escolha que pode e vai mudar toda a sua vida?! Pois é... eu já fiz isso... mais de uma vez... e a pior coisa que tem ao meu ver... é você olhar para trás e se arrepender das decisões que fez e das escolhas que teve...
Eu particularmente NÃO ME ARREPENDO de nenhuma escolha que fiz... mesmo aquelas que me fizeram sofrer... mesmo aquelas que por um tempo curto me fizeram pensar: " E se eu tivesse tentado mais... e se o sentimento muda-se... e se eu não tivesse desistido... e se eu não tivesse dito aquilo...", mas no mesmo momento que esses pensamentos vinham, eu pensava também: " Ok... foi melhor assim, agora tudo está as claras, e eu fui verdadeira sobre como me sentia..." 
Então ao final dessa reflexão, eu penso que olhar para frente é melhor que olhar para trás... mas é muito importante que tudo que você deixo para trás tenha seu valor e não seja esquecido... e que você não tenha vergonha das decisões que tomou ou arrependimentos, nem tudo que passa por nossa vida foi feito para ficar para sempre, cada um de nós tem uma missão nesse mundo e um tempo também.
Minha busca por autoconhecimento nesses últimos anos me fez ver que o mais importante para uma vida equilibrada é eu cuidar sempre de mim e me responsabilizar pelas escolhas que faço...
Não esperar que esse cuidado venho de fora... de outras pessoas... de coisas materiais... e me perdoar... porque eu sou passível de falhas e erros... e não sou uma pessoa ruim... eu não desejo o mal ou quero magoar de propósito.

Meu lema de vida é:


Eu sou apaixonada pela palavra autoconhecimento e tudo o que ela traz de importante para a minha vida.

Considero incrivelmente prazeroso dispor de momentos para praticar a arte de me conhecer melhor. Comecei este processo há muitos anos. Primeiro, com livros de autoajuda. Porém, chegou um momento em que estes livros não foram suficientes, pois eu estava numa fase de conflito comigo mesma, irritada, desgostosa, depressiva, muito insatisfeita mesmo.
Quando não se está de bem consigo mesmo, quando não se tem aquela sensação de paz interior, torna-se muito fácil encontrar defeitos em si e nos outros e criticar a si e aos outros, mesmo que intimamente. E, mesmo no íntimo, acaba-se por exteriorizar esses sentimentos de alguma maneira, pois somos seres de energia.
Essa situação não é saudável. Viemos para este mundo para viver bem. Viver bem não significa ter dinheiro e usufrui-lo indiscriminadamente. Viver bem é estar em harmonia consigo e com os demais. É como imaginar uma música suave sendo tocada e levar sua vida dessa maneira, em harmonia.
Quando percebi que nem eu mesma estava me suportando mais e tudo a minha volta me incomodava procurei ajuda e foi a melhor coisa que fiz. Mesmo assim, ouvir verdades não é fácil e, muitas vezes, eu me senti tentada a desistir. Mas, a força de vontade que eu tinha de mudar era maior, então, deixei-me envolver pelas palavras daqueles que sabiam muito mais que eu e que considero meus mentores.

Mas, olhando para trás, eu sei que deixei uma pessoa e hoje sou outra bem diferente. E isso é o que é mais gratificante. Eu sempre tive vontade de ser uma pessoa melhor em vários aspectos, mas não sabia como. Como a minha vontade de mudar e fazer diferente era muito grande, Deus e o Universo colocaram as pessoas certas na hora certa em todos os momentos da minha vida.
“A mente que se abre a uma ideia jamais volta ao seu tamanho original.” (Albert Stein). 

E, é isso mesmo o que acontece. Existem e sempre existirão momentos de tropeços, em que se sai da órbita, mas com o autoconhecimento você tem à sua disposição inúmeras ferramentas para se “autoconsertar” rapidamente, entrar no eixo do equilíbrio novamente e seguir em frente. Coisas que me deixavam mal durante dias, hoje me deixam mal algumas horas. E isso é o que é extraordinário! A capacidade de resolver pequenas ou grandes questões, sem precisar se desgastar, porque o desgaste emocional consome uma energia imensa.
Somos energia pura. E, o que emanamos com ela receberemos de volta. Então, porque não permitir se conhecer melhor para saber o que agrada, o que desgasta, o que alegra, o que traz paz?

Com as ferramentas do autoconhecimento em mãos, fica muito mais fácil amar-se mais.

Porque em qualquer momento que for necessário lançar mão das ferramentas para se autoconsertar, fica evidente que não haverá mais crítica interior, mas sim, a capacidade de fazer algo para ser feliz.

Fonte: https://osegredo.com.br/por-que-o-autoconhecimento-e-tao-importante/

1 de janeiro de 2018

Feliz Ano Novo!

Este ano, quero aprender algo mais, algo que ainda nem sei o que é.
Quero, em comparação com os anos anteriores, amar e me dedicar mais ao outro.
Quero ser mais, ouvir mais, saber mais, dizer mais vezes a palavra não e pensar mais vezes ao dizer a palavra sim, e vice-versa.
Quero prestar mais a atenção ao cheiro das coisas.
Este ano, quero estipular mais limites aos meus limites.
Quero me conhecer mais, olhar para o íntimo e ver como realmente sou.
Quero tirar as máscaras que ainda restam e sem que as pessoas percebam, o meu eu vá aparecendo e conquistando, agradando, causando sutis escândalos.
Quero continuar prestando a atenção às cores dos relacionamentos que surgem e desaparecem.
Este ano, sei que será diferente dos demais, alguns já não estão mais tão perto e outros estão apenas pensando em se aconchegar.
Quero saber diferenciar este ano o pouco, do suficiênte.
Quero além de sentir o cheiro das coisas, saber lidar com eles.
A tendência da paixão é certa e a decepção pode ser perigosa e triste.
Este ano tá com cara de bossa-nova.
Sinto o cheiro da melodia no ar.
Suave e harmonioso.
Estou começando a compôr.
Este ano será o melhor de nossas vidas.
Será um ano de tentativas.
Quero sugar o mel das pessoas distraídas ou diariamente convertidas.
E com ele me deliciar e deliciar os meus.
Nada de sombra e luzes artificiais.
Somente luz natural.
O que eu realmente quero para este ano, é morrer de amor!
Simplismente morrer de amor.
Cláudia Kuhn da LuzEu quero tudo isso, conforme descrito no texto acima e ainda mais...por otimismo, pela felicidade e amor, por merecimento e por gratidão! E QUERO VIVER DE AMOR...SIMPLESMENTE VIVER DE AMOR!!!Boa sorte para todos nós!

BOA SORTE EM 2018!

Feliz 2018! Não precisamos esperar que as mudanças aconteçam fora de nós porque quando nós mudamos o mundo muda com a gente e o Ano Novo pode ser vivido todos os dias! Que façamos de nós mesmos o diferencial da nova fase que se inicia. Que haja mais amor, que a esperança se renove e que a paz seja cultivada dentro de cada um.
Eu desejo que em 2018 nós possamos dormir e acordar todos os dias um pouquinho melhores. Que as tantas voltas que o mundo já deu e as lições que já aprendemos com as nossas experiências nos deem a certeza de que a vida se ajusta sempre!
Que em 2018 a gente olhe para trás orgulhosos da própria história, que a gente renove os nossos objetivos e lute pelos sonhos que deixamos ficar adormecidos, mas que acima de tudo nós ampliemos a visão para enxergar sempre mais longe cientes de que podemos sempre mais do que podemos imaginar!
Quem faz o ano ser novo é cada um de nós!
BOA SORTE EM 2018!

13 de dezembro de 2017

Pra pensar e realizar!


Não sou uma metade da laranja...sou a laranja inteira!

Fizeram a gente acreditar que amor mesmo,
amor pra valer, só acontece uma vez 
acionado, nem chega com hora marcada.
Fizeram a gente acreditar que cada um de
nós é a metade de uma laranja, e que a vida
só ganha sentido quando encontramos a
outra metade.

Não contaram que já nascemos inteiros,
que ninguém em nossa vida merece carregar 
nas costas a responsabilidade de completar
o que nos falta: a gente cresce através da
gente mesmo. Se estivermos em boa companhia
é só mais agradável. 

Fizeram a gente acreditar que só há uma
fórmula de ser feliz, a mesma para todos, 
e os que escapam dela estão condenados
à marginalidade. Não contaram que estas
fórmulas dão errado, frustram as pessoas, 
são alienantes, e que podemos tentar outras 
alternativas. 

Cada um vai ter que descobrir sozinho.
E aí, quando você estiver muito apaixonado
por você mesmo, vai poder ser muito feliz 
e se apaixonar por alguém.
Martha Medeiros